Após a definição do novo Prefeito de Louveira, eleito neste domingo (15), finalmente entrará em pauta na Câmara o retorno da fiscalização dos vereadores sob o Poder Executivo através de requerimento de informação sem aprovação prévia do Plenário.

Com a mudança do grupo que deve administrar a cidade, já que o candidato apoiado pelo atual Prefeito não foi eleito, o principal questionamento feito é se o assunto está sendo levado para discussão justamente pela alteração. Até então, o prefeito não poderia ser cobrado e fiscalizado através de requerimento que não fosse aprovado pelos vereadores. Como a maioria dos parlamentares é da base do prefeito é difícil ‘emplacar’ este tipo de cobrança.

O presidente da Casa de Leis, Laércio Neres, diz que a proposta de mudança do Regimento Interno não tem relação com a alteração política na Prefeitura. “Entraria para votação independente do resultado nas urnas”, afirma, lembrando que não vai deixar projetos ‘engavetados’.

Já o vereador Marquinhos do Leite, que tem sido o principal defensor da alteração no Regimento Interno da Câmara para voltar a encaminhar requerimentos à Prefeitura, desconfia que o Projeto pode não passar e diz que os vereadores ‘toparam’ colocar o assunto em pauta já prevendo que seria apenas após a eleição. “Desde o ano passado luto para que volte o pedido de requerimento sem precisar da aprovação do Plenário. Agora é ver como os colegas votam”, alfineta, ressaltando que há chances de mudanças na postura dos que no próximo ano passarão a fazer oposição ao Prefeito eleito, Estanislau Steck.

 

O projeto está tramitando na casa e passou por reunião de comissão. Ainda precisa ser apreciado pela Mesa Diretora para então seguir para votação. Há apenas mais duas sessões ordinárias agendadas.